Anúncio
Situação irreversíve

Fernando Monteiro tem falência dos órgãos e situação é irreversível

Ele estava fazendo fazendo o tratamento de câncer no fígado há cinco anos.

25/12/2019 19h41
Por: Nichollas Castro
194

O deputado estadual Fernando Monteiro, presidente regional do PRTB, teve falência dos órgãos na noite desta quarta-feira (25/12), mas a sua morte ainda não foi declarada pelos médicos porque quando está funcionando coração e cérebro ela não pode ser decretada, segundo o que explicou o presidente da Assembleia Legislativa (Alepi), Themístocles Filho.

Themístocles foi informado pela mulher de Fernando Monteiro, Fabrícia Monteiro, que a situação de saúde de Fernando é gravíssima e houve falência dos órgãos. O presidente da Assembleia afirmou que a mulher e os dois filhos do casal estão em Brasília esperando embarque em voo para São Paulo, o que deve ocorrer em 40 minutos.

Fernando Monteiro está há três meses internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, esperando condições de saúde para ser submetido a um transplante de fígado. Ele tinha câncer.

O deputado tomou, dado pelos médicos, um medicamento muito forte e inovador na medicina que permitirá que fique vivo e com os olhos abertos até um determinado tempo, que seria suficiente para ver os filhos em seus últimos momentos.

Os médicos mantém funcionando os aparelhos ligados ao corpo de Fernando Monteiro, garantindo a sua vida.

OUTRA INTERNAÇÃO

Em março, Fernando Monteiro foi internado no Hospital Sírio-Libanês para a retirada de um tumor, mas não foi necessária a realização da cirurgia.

Ele estava fazendo fazendo o tratamento de câncer no fígado há cinco anos.

HISTÓRICO

Filho de Alberto de Moura Monteiro e Maria Laura de Brito Monteiro, Fernardo Alberto de Brito Monteiro era formado em Economia e professor da Universidade Federal do Piauí, foi consultor do Centro de Apoio à Pequena e Média Empresa do Estado do Piauí (CEAG) e implementou o Programa de Apoio às Microempresas.

Eleito vereador de Teresina pelo PDS em 1982, foi o fundador e presidente da Associação de Vereadores do Estado do Piauí (AVEPI) entre 1983/1985. Filiado ao PFL foi eleito deputado estadual em 1986, 1990, 1994, 1998, 2002 e 2006 e por duas vezes candidato a vice-prefeito da capital piauiense: em 1988 com Átila Lira e 2000 com Ciro Nogueira, não obtendo vitória.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários